LPF na Amamentação

Algumas pessoas aqui no Instagram me questionaram se a prática do LPF não atrapalha a amamentação, e a resposta é que o LPF pode até ajudar! Essa dúvida é normal e pertinente surgir, pois algumas pessoas já ouviram falar que a mulher apenas pode retomar ou iniciar a técnica hipopressiva quando tiver interrompido a amamentação, caso contrário esta poderia ser prejudicada pela prática.

Essa informação está absolutamente correta, PORÉM, se refere a técnica hipopressiva, e NÃO ao LPF! Ambas as técnicas são excelentes, porém, DIFERENTES! Os fundamentos técnicos do LPF foram desenvolvidos com base no sistema fascial e sua inter-relação com os outros sistemas do corpo. Mobilizamos as camadas fasciais através do movimento lento e excêntrico, combinado com respirações rítmicas em que direcionamos inspirações profundas seguidas de exalações longas (sem entrar em volume residual) associadas a uma apneia expiratória com abertura costal (aspiração diafragmática), potencializando a mobilização do nosso core miofascial. Além de agir na miofascia, o LPF através de seus fundamentos posturais e respiratórios também estimula a mobilidade das vísceras e tem ação direta na normalização do sistema nervoso neurovegetativo, deixando a mamãe muito mais relaxada e tranquila, o que estimula a liberação de prolactina favorecendo a produção de leite!

Sendo assim, a prática regular do método direcionado por um profissional certificado, pode favorecer o aleitamento materno. Eu mesma, estou com aleitamento materno exclusivo para a minha filha Isabela e estou praticando LPF desde o seu nascimento! Eu recomendo.

Texto por @carollemeslpf – Embaixadora LPF Brasil